Talvez

Talvez, quando não era grande, sabia que não era, estrela deste mundo que não sabe tanto assim.
Quando era menino, sabia tanta coisa, que este mundo inteiro cabia numa caixa de sapatos.
Se eu fosse tão grande, se fosse aquele que bate, com tanto impulso bruto que parece um mutante.
Que fosse um motorista, que fosse um astronauta, daqueles que levam coisas para fora deste mundo.
Se fosse menos cheio, se houvesse menos torta, talvez tivesse esperado menos sorte desta data.
Quem sabe? Talvez tivesse me tornado um polícia.
Talvez…  

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s